18 Mulheres a Sombra

Empreendedorismo feminino. Muito mais do que o tema da moda, o que vemos é uma verdadeira avalanche de mulheres que comandam seus negócios e têm o empreendedorismo como opção de trabalho e realização pessoal. Encontramos com muita facilidade números que comprovam o que vem sendo vista como uma segunda revolução no mercado: a primeira se deu lá nos anos 70,  quando as mulheres saíram de casa para conquistar seu espaço nas empresas e agora quando elas decidem abrir mão das suas carreiras para assumir o próprio negócio. 

Mas e quando falamos em mulheres que estão na moda, sem nem,  sequer terem noção desse cenário apresentado. Que não sabem o que significa a palavra empreender.

Das 22 milhões de pessoas que superaram a pobreza extrema nos últimos quatro anos, 12 milhões são do sexo feminino.

Mas quem são essas mulheres? Quem está por traz desses números? O que as tornam diferentes? Passar de condição de vítima à de guerreira. Não  ser chamada de coitadinha, a pobrezinha ou a que se  sujeita a qualquer tipo de violência. Existem mulheres a sombra,  vivendo a margem desse glamouroso mundo empreendedor, que quer ser vista como uma pessoa que conseguiu superar tudo, que é guerreira, que vai atrás de um lugar ao SOL, ainda que por caminhos sombrios.

O Agora é Que São Ela$ apresenta  o DOCUMENTÁRIO –  Mulheres a SOMBRA – 18 Mulheres a margem do empreendedorismo.

 Vamos colocar o pé na estrada???

 

O Projeto

A Imagem

Trabalhando ha um ano com mulheres empreendedoras, percebemos todo o glamour que existe por trás disso, entre idas e vindas, participações em eventos, rodadas de negócios, notamos que a experiência com o empreendedorismo é muito diferente dependendo do nível social que esta mulher atua. Este projeto visa trazer a tona a imagem da mulher que empreende a sombra de todo este movimento.

A Síntese

Em tese todo empreendedor deveria ser formalizado, inclusive para prestar contas fiscais e ter a capacidade de gerar emprego, no entanto, temos um mundo paralelo onde encontramos mulheres que empreendem para sobreviver, elas não têm a idéia de que são empreendedoras, mas suas atitudes diárias contra as adversidades e o sustento de uma família inteira, mostra que esta mulher tem o senso de empreender, mesmo sem a informação para tal.

Neste projeto vamos visitar 18 mulheres pelo Brasil, e mostrar a realidade enfrentada por elas todos os dias para continuarem comercializando ou ainda, prestando serviços que são totalmente úteis e dignos para a sociedade. E retratar as dificuldades, anseios, medos desta figura que não tem a consciência de que é na verdade uma mulher de negócios!

A Proposta

Oferecer a estas mulheres informações para buscarem outra realidade dentro do empreendedorismo. Organizar parcerias que ofereçam ferramentas para exercerem um trabalho  digno, relevante, percebendo uma forma de monetizar mais justa.

Transformar estas histórias em um documentário e posteriormente em um livro ou ainda um curta metragem, que servirão de inspiração, criando assim um circulo virtuoso para impactar outras pessoas.

A Problemática Social

A proposta para a inclusão das mulheres, em situação de  vulnerabilidade social e econômica, residentes em povoados e em comunidades carentes, se inclui no entendimento da integração entre as ações de cidadania com a de colocação da mulher no mundo empreendedor, construindo um perfil interdisciplinar entre as ações do setor privado e do 3° setor.  Neste sentido, este trabalho destaca o foco no fortalecimento do incentivo à autonomia econômica e ao empreendedorismo das mulheres que é o ponto central para atender os objetivos da questão de inclusão no mercado empreendedor, evidenciando principalmente as mulheres de baixo poder aquisitivo que sofrem com a falta de apoio. Esta situação requer a atenção para a questão da auto sustentação dessas mulheres no próprio espaço de desenvolvimento sustentável com inclusão social e qualidade de vida  e do ecossistema local.

A Relevância

Realizar cursos de qualificação para mulheres em situação de vulnerabilidade financeira, visando à autonomia socioeconômica, com igualdade no mundo empreendedor, para promover oportunidades concretas de inserção, contribuindo para o incremento de geração de trabalho, emprego e renda na perspectiva da qualidade pedagógica e da expansão da cidadania, enfocando a inter-relação entre a empregabilidade, a ocupação profissional, educação, e o empreendedorismo.

A Contrapartida

A implantação deste projeto junto às mulheres brasileiras,  tem entre outros propósitos, contribuir para o aperfeiçoamento das competências técnicas inovadoras visando ampliar ainda mais a dinâmica do processo econômico dos municípios menores, onde nem sempre a informação tem livre acesso

 

Metas

 

O nosso projeto  tem como meta beneficiar  UMA (1) MULHER DA CADA VEZ E INFINITA (8) MULHERES, por isso do numeral (18), em situação de  baixo poder aquisitivo que sofrem com a falta de espaço para a promoção de comercialização das suas produções.

Conheça outros Projetos

Livro que narra a trajetória dessas mulheres que são mães e aceitaram o desafio de empreender em diferentes situações.
Reality show que visa ajudar os concorrentes a impulsionarem seus empreendimentos com prêmios de até 10 mil reais para o grande vencedor.